domingo, 25 de setembro de 2011

Nuvem, nuvenzinha


Manhã fria. O Grande Astro nasce.
Vai demorar para esquentar,
Mas já começo a sentir,
Pela Luz do Sol na face,
Que o dia ficará quente.
Talvez não tão quente,
E sim aquele clima gostoso,
Com o vento levando o
Pensamento para longe,
No horizonte.

Como o dia está belo!

E que nuvem é aquela,
Solitária,
Passando e se transformando
Neste céu
Azul?
É uma nuvem, oras!
Só que não a vejo mais;
Só sei que ela ainda navega
No céu
Azul,
Solitária...

Solitária?
Não. Creio que não.
Os pássaros cantam para ela
E o Vento que a leva
Faz as folhas das árvores
(En)Cantarem.
Ou chorar.

Talvez estão dizendo adeus
À nuvenzinha
Solitária.
"Vá, nuvenzinha, ache outros
Lugares, outros mundos,
Voe, cresça.
Viva a arte de Viver!"

Sou uma nuvem, sentindo
Toda esta intensidade
Desta manhã prazerosa e...
Solitária?

Jamais!

Estou acompanhado da
Natureza
e do
Pensamento.


Gustavo Guimarães Ferri
Estudante de Psicologia da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

Fonte da imagem:
http://www.adibes.com.br/noticia_ver.asp?id=426

9 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pages

 
↑Top