domingo, 25 de abril de 2010

Uma imagem vale mais que mil palavras



Esse selo eu ganhei da querida Rute, do blog Literatura Infantil. Achei muito interessante a forma como ela abordou as regras a serem colocadas no blog. Seguem as regras:
1. Colocar o "selinho" e as regras no seu blog.
2. Responder com muita sinceridade....apenas com IMAGENS, FOTOS ou DESENHOS 
 ( não vale responder por escrito).
3. Indicar 3 pessoas para responder e colocar seus devidos links no final do post.
4. Deixar um comentário no blog da pessoa, avisando que ela foi indicada para a brincadeira.

Quem sou eu

O que me faz sorrir

O que me faz chorar

Minha cor preferida

Melhor lembrança

Música

Filme

Meu pecado

Minha vitória

Cheiro

Esporte

Hobby

Livro preferido

Minha bebida preferida

Um sonho

Minha frase


Indico:
Lia do blog Anima Psicologia- http://wwwanimapsicologia.blogspot.com/
Andressa do blog "A arte de fazer arte"- http://andressapl.blogspot.com/
Tânia Contreiras do blog Roxo-Violeta- http://roxo-violeta.blogspot.com/
Meninas, sintam-se à vontade para pegar o selo. Adorei construir o meu perfil através de imagens. Muito obrigada, amiga blogueira, Rute!
Beijos a todas.

Fonte das imagens: Pesquisa Google imagens. Se alguém se sentir prejudicado pela autoria ou publicação das fotos, aleatoriamente retiradas do Google, eu as retirarei imediatamente deste post, desde que eu seja avisada. Obrigada!

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Contra adição

não sou poeta do amor
daquele amor que consome
que fez arder em chamas Camões
de um sentimento que aniquila
sou poeta das coisas da vida
da paisagem urbana
do beijo na boca
da transa gostosa
sou eclético
sou modernético
sou cibernético
sou o anti-herói romântico
amor não rima com prisão
mas quando surge
quanta (e)bulição!

Tânia Marques 21 de abril de 2010
Fonte da imagem:

amor digital

amor digital
plugado na tomada
longe do real
pelo teclado entram sonhos
ou saem?
acorda
é virtual!

Tânia Marques 21 de abril de 2010

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Delírio poético

Vêm à tona desejos imersos no inconsciente
Falar é um ato explosivo, pois quebra o silêncio
O registro poético vomita a solidão
As palavras deixam marcas violentas no papel
Estas vêm do subjetivo mal-estar nonsense
Imperativo da pós-modernidade
Vida agreste, sentimentos rupestres
Coração bate-rebate aflições
Enganos tortos à meia-noite
Prismas desiguais da mesma verdade
Penso distante daquilo que sentes
Recuso a tua boca
Viajo
tu ficas quieto
Falar é um ato explosivo, pois quebra o silêncio

Tânia Marques 02/11/09
Fonte da imagem: arquivo pessoal

domingo, 18 de abril de 2010

Passos

Se seguires os meus passos, encontrarás o amor!

Tânia Marques  18 de abril de 2010.
Fonte da imagem: arquivo pessoal.

Bullying escolar

O assédio moral ou Bullying não se resume a agressões somente de alunos para alunos. Hoje, principalmente na escola pública brasileira, há muita violência entre direção, vice-direção, setores e professores, podendo gerar problemas graves de saúde nas vítimas e estranhamentos entre os colegas de trabalho. Sinal dos nossos tempos: a escola pública está na UTI, e os professores, em coma profundo! Infelizmente! 

Tânia Marques   18 de abril de 2010


.amor contraproducente.

.amar demais o outro é a contrapartida de amar pouco a si mesmo. o amor em demasia impede o aparecimento de sentimentos saudáveis, é contraproducente, tolhe o companheirismo e o equilíbrio da relação afetiva, pois, até certo ponto, o ciúme patológico que o acompanha faz distorcer necessariamente a realidade. não desejo ser amada nem demais nem de menos, apenas na medida certa. o amor, principalmente o romântico, prima pelo enclausuramento do casal às suas convicções de posse corporal, emocional e espiritual. onde há a quebra do respeito ao direito de liberdade do parceiro, não há vida, não há reservas de alegrias a serem somadas; existe, pois, o individualismo narcisista da vontade de um sobre o outro, numa troca recíproca de palcos e holofotes. a relação neurotizada gera ainda mais sofrimento, uma vez que, além de não se bastar a si própria, pela falta de harmonização, acaba sugando as energias vitais numa reciprocidade sem fim, obviamente, engendrando estados depressivos e muita solidão a dois. eu deixarei de amar alguém no dia em que me sentir sufocada psicologicamente. sentimentos persecutórios são doentios. os componentes básicos para se preservar uma relação estão diretamente ligados a uma opção consciente de escolha, à liberdade e, principalmente, à sedução. para mim, a sedução tem a mesma posição de importância que a traição, com a diferença que a primeira trabalha a honestidade, o encantamento e o tesão, e a segunda, a crueldade em relação aos seus próprios sentimentos e aos alheios, a incoerência total entre o falar e o agir, a covardia. o amor só vive em liberdade e, diga-se de passagem, liberdade é sinônimo de confiança no outro e na relação. é um meio termo entre a sensação de pertencimento e a de independência total, onde cada um age por si sem deixar de ser dois.


Tânia Marques 24/02/2010.

Fonte da imagem:

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Trabalhos artísticos de Andressa

Estudante de Artes Visuais da UFRGS
 Técnica: Desenho de uma moça, feito com lápis grafite.

Andressa desenha desde a infância e através da obsevação foi aprimorando algumas técnicas. Ela tem preferência  pelo desenho do corpo humano. Gosta de desenhar, muitas vezes, mulheres, algumas abstrações e coisas do cotidiano. Admira as diferentes manifestações artísticas, como: pintura, gravura, cerâmica entre outras. Afirma que a "arte está em tudo, só precisamos de atenção para percebê-la".
Técnica:  Retrato a partir da fotografia de um amigo. 
Feito com lápis grafite 4B e 6B.

Técnica:  "Desenho Caótico II" Experiência que junta desenhos de imagens distintas, dando importância para algumas cores.

Técnica: Camiseta "restaurada", cortando um pouco as mangas e alargando a gola. O desenho da borboleta foi feito com caneta especial para tecido. A letra é da música "Pais e Filhos" da banda Legião Urbana.

Andressa, muito obrigada pela bela contribuição que deste ao Degrau Cultural. Volte sempre!
Fotos do arquivo pessoal da autora, enviadas para o meu e-mail.

terça-feira, 13 de abril de 2010

Mário Quintana: doce sensibilidade


Os poemas

Os poemas são pássaros que chegam
não se sabe de onde e pousam
no livro que lês.
Quando fechas o livro, eles alçam vôo
como de um alçapão.
Eles não têm pouso
nem porto;
alimentam-se um instante em cada
par de mãos e partem.
E olhas, então, essas tuas mãos vazias,
no maravilhado espanto de saberes
que o alimento deles já estava em ti...

Mário Quintana - Esconderijos do Tempo


O amor

O amor é quando a gente mora um no outro.

Mário Quintana 


Simultaneidade

- Eu amo o mundo! Eu detesto o mundo! Eu creio em Deus! Deus é um absurdo! Eu vou me matar! Eu quero viver!
- Você é louco?
- Não, sou poeta.

Mário Quintana - A vaca e o hipogrifo (Poesia Completa, p. 535)


Pequeno esclarecimento

Os poetas não são azuis nem nada, como pensam alguns supersticiosos, nem sujeitos a ataques súbitos de levitação. O de que eles mais gostam é estar em silêncio - um silêncio que subjaz a quaisquer escapes motorísticos e declamatórios. Um silêncio... Este impoluível silêncio em que escrevo e em que tu me lês.

Mário Quintana - A vaca e o hipogrifo


O morto

Eu estava dormindo e me acordaram
E me encontrei, assim, num mundo estranho e louco...
E quando eu começava a compreendê-lo
Um pouco,
Já eram horas de dormir de novo!

Mário Quintana (Apontamentos de História Sobrenatural)

A coisa

A gente pensa uma coisa, acaba escrevendo outra e o leitor entende uma terceira coisa... e, enquanto se passa tudo isso, a coisa propriamente dita começa a desconfiar que não foi propriamente dita.

Mário Quintana (Caderno H)

Fonte de pesquisa:  
Fábio Rocha - A Magia da Poesia
Fonte da imagem:

quarta-feira, 7 de abril de 2010

um poema

um poema, uma brecha
nele, registros de subjetividades
objetivos sensíveis à vista
anestesias para as dores da vida
conforto para os males do espírito

um poema, um estado de alma
uma implosão de aprisionamentos
uma explosão de liberdades
uma procura de sentidos coloridos
uma noite de chuva
um beijo na boca

Tânia Marques 07 de abril de 2010.

Fonte da imagem:

Quem é o poeta?


"Um poeta é um mundo encerrado num homem". Victor Hugo
"Para o poeta a maior tragédia é se o admiram porque não o entendem". Jean Cocteau
"O poeta é como o príncipe das nuvens. As suas asas de gigante não o deixam caminhar". Charles Baudelaire
"O homem de ação é antes de tudo um poeta". André Maurois
"À pergunta habitual: ''Por que é que escreve?'', a resposta do poeta será sempre a mais curta: ''para viver melhor." Saint-Jonh Perse 
"O poeta faz-se vidente através de um longo, imenso e sensato desregramento de todos os sentidos". Aerhur Rimbaud
"As palavras do poeta volteiam incessantemente em redor das portas do paraíso e batem implorando a imortalidade". Johann Goethe
"O historiador e o poeta não se distinguem um do outro pelo facto de o primeiro escrever em prosa e o segundo em verso. Diferem entre si, porque um escreveu o que aconteceu e o outro o que poderia ter acontecido". Aristóteles 
"O poeta deve ter um só modelo, a Natureza; um só guia, a verdade". Victor Hugo
"O louco, o amoroso e o poeta estão recheados de imaginação". William Shakespeare
"O que distingue um grande poeta é o fato dele nos dizer algo que ninguém ainda disse, mas que não é novo para nós".  
José Ortega y Gasset
"A arte apenas faz versos, só o coração é poeta". André Chénier

"Ser misterioso e triste, é ser poeta:
Mesmo a luz que palpita nos teus cantos.
É uma imagem heroica dos teus prantos.
Percorre o teu caminho até ao fundo,
E com os versos que achaste, aumenta o mundo.
Não sejas um escritor, mas um profeta". 
Antônio Quadros

Fonte das citações: http://www.citador.pt/

domingo, 4 de abril de 2010

Solidão

Eu grito
você não me ouve
você não quer escutar
os sons da primavera
você quer ficar fechado
no seu inverno permanente
frigidíssima estação
que te faz melancólico
congelam os teus sonhos
caem as folhas dos plátanos
você não acorda para a vida
de que adianta o sol
se o teu mundo não tem janelas?

Tânia Marques 04/04/2010

Fonte da imagem:

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Sobre a escrita


"Que é que eu posso escrever? Como recomeçar a anotar frases? A palavra é o meu meio de comunicação. Eu só poderia amá-la. Eu jogo com elas como se lançam dados: acaso e fatalidade. A palavra é tão forte que atravessa a barreira do som. Cada palavra é uma idéia. Cada palavra materializa o espírito. Quanto mais palavras eu conheço, mais sou capaz de pensar o meu sentimento". 

Clarice Lispector

Texto extraído de:
Fonte da imagem:

Liberdade esta palavra

Liberdade esta palavra
que o sonho humano alimenta
que não há ninguém que explique
e ninguém que não entenda.

Cecília Meireles

Fonte da iamgem:

Amor é síntese - Mário Quintana


Por favor não me analise
Não fique procurando cada ponto fraco meu
Se ninguém resiste a uma análise profunda
Quanto mais eu
Ciumento, exigente, inseguro, carente
Todo cheio de marcas que a vida deixou
Vejo em cada grito de exigência
Um pedido de carência, um pedido de amor
Amor é síntese
É uma integração de dados
Não há que tirar nem pôr
Não me corte em fatias
Ninguém consegue abraçar um pedaço
Me envolva todo em seus braços
E eu serei perfeito amor.

Mário Quintana

Fonte da imagem: 

Caio Fernando Abreu

Tenho a boca afiada de punhais
não choro
olho os faróis com duros olhos
ardidos de quem tem febres
mas não sangro
as mãos vazias deixam passar o vento
lavando os dedos que não se crispam
não há palavras, nem mesmo estas
o único sentido de estar aqui
é apenas estar secamente aqui
cravado como um prego
em plena carne viva da tarde.

Postado por Tânia Marques  1º de abril de 2010
Fonte da imagem:
solosfemininos.blogspot.com/2009/12/lacos-e-p...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pages

 
↑Top