domingo, 9 de maio de 2010

Dia das Mães!

1989 - Nascimento do meu primeiro filho

1991 - Nascimento do meu segundo filho

Como mãe (e muitas vezes ‘pãe’) que sou, desde o ano de 1989, data do nascimento do meu primeiro filho, e novamente em 1991, ano da chegada do segundo,  obedecendo à sequência das fotos, sinto-me plenamente feliz e realizada com a maternidade, porém irritada com as datas comemorativas que são forjadas pela nossa sociedade de consumo, com o intuito de vender produtos, produtos e mais produtos como se, à força disso, eles pudessem representar os sentimentos que envolvem as pessoas. Sendo assim, a maioria das datas comemorativas em nosso calendário anual, além de passarem por meros clichês, enaltecem o lucro, o falso Cristianismo e são uma grande hipocrisia, uma vez que, no dia-a-dia, as relações entre as pessoas são, na maioria das vezes, mais centradas nas desuniões, nas brigas, na competição, no preconceito do que no amor, na fraternidade e no respeito. Não é um presente qualquer que poderá suprir lacunas existenciais, a ausência de afeto e atenção, não é um presente qualquer que poderá suprimir o ódio dos corações humanos.

Dia das Mães são todos os dias, Dia dos Pais são todos os dias, Dia das Crianças são todos os dias do ano, muitas vezes, sem comida na mesa, sem compreensão, sem tolerância, sem carinho, sem abrigo, sem proteção, sem palavras bonitas, sem conselhos coerentes, sem abraços, sem beijos e sem exemplos de vida saudável.

Dia das Mães são para todas as mães que amam e cuidam de seus filhos, sem esperar retorno pessoal ou louvores. Dias das Mães são daquelas que geraram, através de suas barrigas (as legítimas) ou não (as de criação, que são mais do que legítimas), as crianças lindas deste mundo. Dedido este post a todas as mães brasileiras, mas especialmente àquelas que ficaram órfãs de seus filhos em decorrência da violência urbana, das drogas, dos desastres, dos assassinatos, dos suicídios, dos crimes políticos ou do seu desparecimento.

Como mãe de dois rapazes lindos, ratifico neste dia o amor que sinto pelos meus filhos e que demonstro em cada minuto de sua existência, pois eles são pessoas brilhantes, maravilhosas e merecedoras de toda a felicidade possível!

De coração de filha amada, dedico este post à minha mãezinha querida, que cuida de mim até hoje, com seus 83 anos. Te amo, mãe!

Beijos da Tânia a todas as mamães! 

09 de maio de 2010
Fonte das imagens: arquivo pessoal.

8 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pages

 
↑Top