sábado, 5 de junho de 2010

O preço

A cada fúria de um passo
Um formoso olhar,
A cada sonoridade de um sorriso,
Um agreste verso a falar,
A cada belicosa volta
Um devaneio a se entregar,
A cada cor vista da esperança
Uma majestosa estrada a se esburacar,
A cada gesto de um momento
Uma forma desigual de te amar,
A cada canto de um pesadelo
Os feitos de um rio a secar,
A cada famosa vírgula
Uma história a se contar,
E a cada preço de um ponto final
Um sublime conto a se realizar,
Ou o preço do que lamentar.

Carlos Augusto Matos*

*Estudante de Letras, escreve desde os seus 15 anos. Hoje tem 25. Em versos, dedica-se poeticamente desde os 18 anos.
"Amo o amor, pois sem ele não estaria aqui, porque de fato eu nasci para o amor. Pena que algumas pessoas que se julgam saber o que é o amor, sempre entram em minha vida, e vão embora deixando uma ferida. Mas, com tudo isso, com essa batalha diária para encontrar alguém que me faça feliz, eu aprendo com os segundos e morro cada dia mais com os dias que se passam sem ter alguém para cuidar do meu coração". Carlos Augusto Matos (Belém/Pará).
Visite o seu blog: http://visaopoetica84.blogspot.com/

Fonte da imagem: Google
Texto e imagem enviados via MSN, em 05/06/2010 - publicação consentida pelo autor.

9 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pages

 
↑Top