quinta-feira, 1 de abril de 2010

Caio Fernando Abreu

Tenho a boca afiada de punhais
não choro
olho os faróis com duros olhos
ardidos de quem tem febres
mas não sangro
as mãos vazias deixam passar o vento
lavando os dedos que não se crispam
não há palavras, nem mesmo estas
o único sentido de estar aqui
é apenas estar secamente aqui
cravado como um prego
em plena carne viva da tarde.

Postado por Tânia Marques  1º de abril de 2010
Fonte da imagem:
solosfemininos.blogspot.com/2009/12/lacos-e-p...

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pages

 
↑Top